Moção “inédita” é protocolada em São Paulo

Documento que implora pela pavimentação da estrada do Baixão da Serra é entregue no gabinete de deputados e no Palácio dos Bandeirantes

Publicado em: 04 de maio de 2017

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) e os deputados estaduais Pedro Tobias (PSDB), João Caramez (PSDB), Jorge Caruso (PMDB), Luis Carlos Gondim (SDD) e Arnaldo Jardim (PSS) receberam na manhã desta quinta-feira (04) cópia da Moção de Pelo Amor de Deus de autoria do vereador Niles Zambelo Jr. (PMDB).

 

O documento foi protocolado pessoalmente no gabinete de cada parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) e no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual. Os senadores paulistas Aloysio Nunes Ferreira e José Serra também receberão o conteúdo em breve.  

 

Considerado inédito na região, o título da Moção contou inclusive com aval de pároco da cidade, consultado antes do documento ser apresentado no plenário da Câmara Municipal durante a sessão ordinária realizada na última terça-feira (02).

 

A matéria implora pela conclusão da pavimentação da vicinal BRB 367, popularmente conhecida como estrada do Baixão da Serra, que liga Barra Bonita, Mineiros do Tietê e Dois Córregos a Santa Maria da Serra.

 

Dinheiro não é o problema.

 

A concessão da SP-255 rendeu quase R$ 1 bilhão a mais que o previsto, mas provavelmente a verba será utilizada para obras no trecho norte do Rodoanel e nas linhas 8 e 9 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). “Esperamos que o valor seja investido na região. Alckmin não pode deixar o interior jogado às traças mais uma vez”, explica o vereador.

 

De acordo com Zambelo, mapas rodoviários do governo indicavam a estrada como pavimentada na década de 70. Nos anos 80, a gestão Franco Montoro iniciou o serviço, mas apenas 8,7 de um total de 42 quilômetros foram concluídos. Em 2010, a obra chegou a ser anunciada pelo então governador José Serra através de publicação no Diário Oficial.

 

“A pavimentação reduziria a distância até Piracicaba em mais de 30 quilômetros, transformaria nossa cidade no portal de entrada da hidrovia Tietê-Paraná, ligaria Barra Bonita a regiões mais desenvolvidas e possibilitaria a exploração de empreendimentos nas margens do rio”, cita Zambelo. Ele lembra ainda que devido à falta de estrutura logística para o escoamento da produção, gás canalizado e distância de consumidores, as indústrias de piso instaladas em Barra Bonita transferiram a produção para Rio Claro e Piracicaba. “Dados do IBGE deixam claro que nossa região está abaixo do índice de desenvolvimento em comparação a outros municípios”.

 

Em claro tom de ironia, trecho da Moção de Pelo Amor de Deus afirma que o povo é pobre, caipira, jacu e muitas vezes menosprezado, mas guerreiro e trabalhador e que com a ajuda de Deus o objetivo será alcançado. “Obviamente que não há menosprezo. O intuito é chamar a atenção pelo fato de que, mesmo morando no interior, sabemos dos problemas. A população merece o mínimo de atenção do governador”.


Publicado por: Gabriel Pizzo Ottoboni

Cadastre-se e receba notícias em seu email