Gervásio pergunta sobre o kartódromo municipal

Local foi utilizado para a realização do Barra Folia 2018

Publicado em: 28 de fevereiro de 2018

O vereador Gervásio Aristides da Silva (PP) solicita, através de Requerimento direcionado à Prefeitura, informações sobre o kartódromo municipal, utilizado recentemente para as festividades de carnaval. O parlamentar quer saber se há projeto sobre as alterações no local e se a Prefeitura pretende reutilizar a grama que está sendo coberta em outro local.

 

Recentemente, Gervásio participou de reunião na secretaria estadual do Meio Ambiente sobre o selo Verde Azul e foi informado que diversos municípios utilizam grama sobre as calçadas. “Barra Bonita luta pela certificado ambiental e o Executivo poderia desenvolver um método de retirar a grama e replantá-la em outro local, como calçamentos públicos e praças”, argumenta. "isso sem falar na economia". 

 

Proprietário do site S2 Notícias, o vereador Sandro Alponte (PROS) produziu recentemente matéria sobre o local e disse que foi informado pela assessoria de imprensa que a Prefeitura pretender remodelar a área.

 

Gervásio também é autor de Moção de Apelo à Prefeitura solicitando a instalação de faixas elevadas para travessia de pedestres na Avenida Caio Simões, bem como a melhoria da iluminação e pintura de sinalização de trânsito. 

 

Dedetização

 

            Niles Zambelo Jr. (MDB) e Fantin (PTB) apresentaram Requerimento para que a Prefeitura informe se houve dedetização no velório e no cemitério em 2018 e se o produto aplicado é eficaz contra escorpiões. “Há informações sobre o surgimento de escorpiões no salão do velório, o que por óbvio causou temor aos que estavam no local”, relata Fantin.

 

            De autoria da vereadora Aline Castro (PEN), o terceiro Requerimento apresentado nesta segunda-feira (26) foi rejeitado pelo placar de 7 a 6. O documento solicitava cópia de todos os processos administrativos sobre a concessão de alvará de funcionamento concedidos ou não em 2017.

 

        Em sua justificativa, a parlamentar alega que recebeu diversas reclamações e denúncias informais sobre diferenças na exigência da documentação para obtenção de alvará de funcionamento de empresas na cidade. “A lei deve ser aplicada de forma indistintamente e igualitária”, alega.

 

            Os vereadores que foram contrários afirmam que o montante de papel recebido seria volumoso e que os documentos ficariam à disposição da vereadora na Prefeitura, até por questão de economia. Aline não aceitou a sugestão.


Publicado por: Gabriel Pizzo Ottoboni - Ass. de Comunicação, Cerimonial e Eventos

Cadastre-se e receba notícias em seu email