Requerimentos solicitam informações sobre transporte de pacientes e fornecimento de água

Vereadores questionam Prefeitura sobre alimentação de doentes e falta do produto nos altos da cidade

Publicado em: 14 de março de 2018

Requerimentos apresentados esta semana pelos vereadores Joãozinho do Hospital (PPS) e Claudecir Paschoal (PMDB) questionam a Prefeitura e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), respectivamente, sobre o transporte de pacientes e o fornecimento de água aos sábados na Cohab e no Sonho Nosso.

 

Através de três perguntas, Joãozinho quer saber o número de veículos utilizados no transporte para atendimento e consultas fora da cidade, a média de pacientes transportados por mês e se há o município fornece algum tipo de alimentação. “Ocorre que as pessoas vão para cidades com mais de 50 quilômetros de distância e chegam somente à noite. E muitos são de baixa renda”, justifica. “Ninguém utiliza esse transporte a passeio ou diversão, são pessoas debilitadas e que necessitam de um tratamento mais atencioso”.

 

Já Paschoal indaga o SAAE sobre a interrupção no fornecimento de água na Cohab e no Sonho Nosso aos sábados, a partir do meio dia. Ele também pergunta sobre a situação dos poços, reservatórios e da rede de distribuição desses bairros. “Entrei em contato com o diretor da autarquia e relatei o problema. O mesmo informou que não tinha conhecimento e iria buscar uma solução, porém até o momento nada foi resolvido”.

 

A Câmara deve receber as respostas em até 15 dias.

 

Velório e cemitério

 

Em resposta a Requerimento apresentado pelos vereadores Niles Zambelo Jr. (MDB) e Fantin (PTB) sobre dedetização no cemitério municipal e no velório, a Prefeitura informa que realizou nebulização no final de 2017 e ás vésperas do carnaval deste ano. O objetivo era reduzir a população de mosquitos nos locais para evitar a transmissão de doenças com dengue, zika, chikungunya e febra amarela.

 

O documento foi apresentado na sessão ordinária de 26 de fevereiro e questionava o aparecimento de escorpiões nesses locais.

 

Ainda de acordo com a administração, o trabalho é eficaz apenas contra mosquitos, mas também afeta baratas, cupins e formigas. “Mas não garante eficácia na eliminação de escorpiões, que requer o uso de produto específico”, diz trecho do ofício encaminhado à Câmara, que diz ainda que a dedetização para controle de escorpiões é realizada periodicamente.

 

Nova aplicação de inseticida foi realizada na última semana e sua eficácia é garantida por seis meses. “E, brevemente, nos próximos meses, será retomada novamente a dedetização periódica do cemitério e do velório municipal, que será realizada por empresa em processo de contratação”.


Publicado por: Gabriel Pizzo Ottoboni - Ass. de Comunicação, Cerimonial e Eventos

Cadastre-se e receba notícias em seu email