Prefeitura reponde sobre emendas parlamentares, recapeamento, sinalização de trânsito, iluminação pública e transporte escolar

Questionamentos foram realizados pelos vereadores mediante Requerimentos e Ofícios

Publicado em: 04 de dezembro de 2019

A Câmara Municipal recebeu esta semana informações referentes a três Requerimentos e dois Ofício protocolados recentemente na Prefeitura solicitando informações sobre emendas parlamentares, recapeamento, iluminação pública, sinalização de trânsito e transporte escolar.

 

Devido ao grande número de páginas, resposta a Requerimento do vereador Joãozinho do Hospital (PPS) sobre emendas parlamentares está disponível através do https://consulta.siscam.com.br/camarabarrabonita/arquivo?Id=15325.

 

Em relação a pedido de recapeamento asfáltico da Rua Luiz Sponchiato, no Jd. Nova Barra, feito pelos vereadores Claudecir Paschoal (MDB), Adriano Testa (PROS) e Maicon Furtado (Podemos), a secretaria municipal de Desenvolvimento Urbano informa que solicitou ao Estado recursos para a execução do serviço em diversas ruas do município, porém ainda não foi contemplada.

 

Em novembro, a vereadora Aline Castro (PEN) questionou a administração sobre iluminação pública. O Poder Executivo alega que a manutenção (como a troca de lâmpadas) é de responsabilidade da CPFL, mas que realiza melhorias na rede e o pagamento das contas de iluminação pública através da CIP (Contribuição de Iluminação Pública).

 

Sobre atraso do veículo que leva alunos de Barra Bonita para a APAE de Igaraçu do Tietê, a Prefeitura afirma que a situação já está regularizada. O questionamento foi feito pelo presidente Claudecir Paschoal (MDB) através de Ofício.

 

Também através de Ofício, Adriano Testa (PROS) solicitou ao Demutran (Departamento Municipal de Trânsito) alteração no ponto de ônibus escolar e de transporte coletivo da Rua Domingos Ghedin para a Rua dos Imigrantes (defronte à Academia da Saúde Bernadete Fonseca Paiva). A justificativa apresentada pelo parlamentar é que a parada dos ônibus atrapalha o fluxo do trânsito. Alega ainda que a travessia dos passageiros fica perigosa.

 

O órgão informa que a solicitação será estudada, uma vez que para mudar o ponto de ônibus há necessidade de acordo com a empresa prestadora do serviço.


Publicado por: Gabriel Pizzo Ottoboni - Ass. de Comunicação, Cerimonial e Eventos

Cadastre-se e receba notícias em seu email