Vereadores cobram explicações sobre o cemitério

Devido à falta de espaço, sepultamentos são realizados nas áreas destinadas às passarelas

Publicado em: 25 de maio de 2016

Requerimento assinado pelos vereadores Jairo Meschiato (PRP) e Zezinho Biliazzi (PMDB) pede que a Prefeitura esclareça a situação do cemitério municipal. A Câmara deve receber as respostas em até 15 dias.

 

Devido à falta de espaço, os sepultamentos são realizados nas áreas destinadas às passarelas. E a proximidade entre os túmulos dificulta a passagem das pessoas.  

 

Os parlamentares querem saber se o poder público possui nova área e, caso negativo, se há disponibilidade financeira para desapropriação.

 

Meschiato alega que, há três anos, o Executivo informou que a cidade teria um novo cemitério, localizado nos altos da cidade. “Mas o quadro atual é outro. Em pouco tempo as pessoas serão enterradas em Igaraçu do Tietê”, prevê. “O assunto deve ser tratado com prioridade pela próxima administração”.

 

Para Biliazzi, a solução está longe do fim. Isso porque a licença para aprovação de área junto a órgãos competentes, como a Cetesb, leva tempo. “O processo é longo, ainda mais se ainda não há área definida, pois a Prefeitura não tem dinheiro para desapropriação”.

 

“O cemitério deveria ser um lugar de paz e respeito, não para pisar sobre os túmulos”, avalia Marcos Peroto (PPS). “O cemitério, a estação de tratamento de esgoto e a rodoviária serão promessas de campanha da atual administração nas próximas eleições”, prevê Claudecir Paschoal (PMDB).

 

Líder do prefeito na Câmara, Rogério Lodi, o Lelo (PP), afirma que a Prefeitura deverá enviar em breve à Câmara projeto que dispõe sobre a ampliação do perímetro urbano que contempla área para a construção de novo cemitério.

 

 


Publicado por: Gabriel Pizzo Ottoboni - Assessor de Comunicação, Cerimonial e Eventos

Cadastre-se e receba notícias em seu email